Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Herman José

Herman José

Respostas do Herman - Parte II

Joana, 14.04.08

Meu doce Herman, infelizmente ainda não pude voltar a visitá-lo. Tive só aquela grande surpresa por telefone feita pela "malvada" da Antena 1. Hoje, em especial, queria dar-lhe PARABÉNS,recordar-lhe que o adoro, desejar-lhe todo o sucesso, toda a sorte e toda a felicidade do mundo!!! Espero que este dia (tal como todos os outros) tenha sido passado com alegria rodeado de amigos (dos bons:-) e dizer-lhe que esta sua amiga (perdão pelo abuso) ainda que de longe celebra sempre consigo!Continuo a sonhar com um fim de tarde à beira mar em que converso longamente consigo e aprendo... De novo, meu querido Herman, lhe digo que muito mais do que admirar o humorista inigualável que é, admiro a inteligência, a cultura, a fonte de saber que sempre representou e representa para mim. O Herman é pilar importante do ser humano que hoje eu sou e por isso eu só posso agradecer e festejar o facto de ter nascido! Beijo muito grande, abraço terno tal como o que me deu...que jamais esquecerei. Ana Luísa Joana, beijinho grande grande pra ti e obrigada mais uma vez por seres este elo de ligação. Beijinhos Ana Luísa – Fafe

 

Obrigado Ana Luisa ! 1000000000000000000000 beijos repenicados nessa cara linda !

 

Olá Herman! Gostaria que me dissesse qual a música de fundo do seu clip dos Incorrigíveis # 9 ... http://hermanjose.blogs.sapo.pt/203494.html que passa a partir do 1:31, quando começa a falar da co incineração, e que vai até ao fim do vídeo. Adoro essa música! Gosto muito dos seus clips, que são sempre muito variados! Continue com essa veia imaginativa! Até breve. Maria Teresa Almeida

 

Vou investigar, e dir-lhe-ei oportunamente.

 

Gostava muito de ter o poema que o Herman fez para o disco do Vítor de Sousa. O disco está esgotado. Este poema é das obras mais lindas do verdadeiro artista. Parabéns por me teres feito rir durante 30 anos, quero continuar a rir mais contigo. Luís Cunha

 

Caro Luis, cá vai o poema, produto de uma dor de corno passageira:

 

Coração amarrotado,

Alma sem brilho, cinzenta,

Não poder estar a teu lado,

Sentir o peito rasgado,

Que tristeza, que tormenta !

 

Se calhar ele há maneiras

De gerir este ciúme...

De vencer estas barreiras

De infantis choradeiras

Por falta do teu perfume.

 

Saber que uma outra mão

Te acariciou ardente,

E não deixar que esta paixão,

No meio de tanta confusão

Nos sufoque lentamente.

 

Se o meu futuro é não ter

O teu exclusivo de amar,

Tentarei pois aprender,

Forma de apreender

A arte de compartilhar.

 

Que estranha dor, esta agora,

Fria, fatal, forte, soez,

Saberei reconquistar-te,

Prefiro ter-te em parte,

Do que te perder de vez.

 

Querido Herman, não é que tenha sido grande seguidora do Hora H (principalmente por causa do horário). Mas a verdade é que já morro de saudades suas, sei que vou ter de esperar até setembro para voltar a vê-lo entrar na minha casa para me fazer companhia à noite. Moro no Algarve , logo é-me difícil deslocar aos Bastidores para o ver ao vivo, mas no verão vou atrás de si em Vilamoura ! :D Fica desde já avisado, isto é, se voltar a passar as férias lá este ano. Um beijo grande da Tita !

 

Se me vir em Vilamoura, fica intimada a vir ter comigo !

1 comentário

Comentar post